quarta-feira, 18 de março de 2009

Professor Gey

Ah, a vida, esse estranho enigma.
Ciclos que se abrem, ciclos que se fecham.
Não queria pensar na morte de Gey Espinheira quando, ao final do ano passado, trabalhei com ele no processo de planejamento do Projeto Axé. Magrinho, devagarinho, quase sem voz. Mas a mente arejadíssima e a verve guerreira rechassavam as poucas condições físicas. Um gigante, esse Mestre Gey.
Homenagens com tons de despedidas pipocavam pela cidade. Todos que beberam de sua inteligência e erudição queriam poder dizer do GRANDE homem que ele era.
A Bahia precisa reverenciar a CORAGEM e a SABEDORIA desse SER DE LUZ!
Triste, busco no imenso privilegio de tê-lo conhecido a pista não para desvendar o tal ENIGMA DA VIDA, mas para continuar tentando...

Um comentário:

Maria Muadiê disse...

Fernanda, a vida é um estranhíssimo enigma, e confesso que tem me inquietado muuuuuuuuuuuuito.
Cheguei ao blog do Axé através do meu amadíssimo amigo Caubi.Vendo a sua foto tenho a impressão de lhe conhecer...
Um beijo,