sábado, 29 de novembro de 2008

Trabalho e me divirto...

Sempre foi assim. De tudo eu me divirto. Até quando me chateio, mas hoje não vem ao caso. Adoro cenas, por isso trabalho também com teatro. Mas o teatro da vida real é o que mais prende a minha atenção e me emociona. Não chega a ser o "Teatro de Rua", de Boal, pois não há intencionalidade na cena. Mas é o delicioso teatro da vida, ali, grátis prá gente! Sem inteiras nem meias, nem cotas!

Cena 1 - A recepcionista do escritório, moça pobre e mal estudada, prontinha prá sair lá pelas duas da tarde. Pergunto prá onde vai, e tomo nos peitos: - Vou na reunião de pais e filhos da escola das meninas. E ninguém vai me impedir... Hoje de manhã minha menina teve um infarto na escola e eu não pude fazer nada! Passou mal, desmaiou, e eu aqui. Mas se eu dissesse que queria sair porque a menina teve esse infarto, quem é que ia acreditar? Não valorizam quando filho de mulher tá doente... Mas prá reunião eu vou!

CORTA!


Cena 2 - Entro no elevador e o ascensorista está combinando uma compra de uma caixa de sei lá o quê na mão da funcionária de limpeza do meu setor. Vou entrando, ela saindo, caixa dentro de uma sacola de loja. A porta fecha e ele me diz: - Perfume, creme e sabonete. R$20. Será que o preço tá bom? Ela disse que só o perfume custa R$60. Será que custa mesmo?

Respondo que talvez, - É Natura ou Avon? Ele me paralisa: "Insinuante". E eu lerda: - E a Insinuante fabrica cosméticos? A resposta vem com o levantar de ombros: - No sabonete eu vi a marquinha da Insinuante...

Vai pagar R$20 no brinde da outra. Tá bom o preço! CORTA!!!

Um comentário:

maria guimarães sampaio disse...

E eu tenho certeza que você me divertirá muito com seus textos blogais. Começou legal. Beijos de Mariasinha